Ararinhas-azuis se adaptam bem à soltura

Após um mês da soltura, as oito ararinhas-azuis soltas em Curaçá, no sertão baiano, se adaptaram bem à nova vida na natureza. Elas foram soltas junto com um grupo de araras maracanãs, que serviram de guias para os primeiros dias dessas aves no céu.

A soltura das ararinhas-azuis é uma das etapas do Plano de ação Ararinha-Azul, coordenado pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), em parceria com a ONG ACTP e instituições privadas que apoiaram o projeto.

“Assim que a silhueta de um possível predador aparece no céu, outros pássaros, como os papagaios, emitem sons claros. As ararinhas então as interpretam corretamente e voam para longe imediatamente”, informou a Association for the Conservation of Threatened Parrots (ACTP), instituição alemã, parceira do governo no programa de reintrodução da espécie.

Os pesquisadores estão acompanhando a adaptação das aves em vida livre por meio de um rádio colar que foi instalado em todas elas.

Os dados são do site Só Notícia Boa.

Quer falar com a BLINK?