conecte-se conosco

Oi, o que você está procurando?

BLINK NEWS

Brumadinho tem 110 mortes. Possibilidade de rompimento preocupa até em Campo Grande

Corpo de Bombeiros e Defesa Civil confirmam 110 mortes decorrentes do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho (MG). Ainda estão desaparecidas 238 pessoas.

Sirenes atrasadas e descarte do plano de emergência

Ontem (31), o presidente da Vale informou que as sirenes de alerta da da mina de Brumadinho não foram acionadas porque foram atingidas pela lama antes que pudessem disparar o alarme. Segundo especialistas, o alerta, que poderia ter salvado vidas, é obrigatório por lei e tem tecnologia para acionamento rápido.

Folha/Uol apuraram também que plano de emergência da barragem do Córrego do Feijão, que se rompeu na última sexta-feira, foi ignorado pela mineradora. No plano, constava informação de que eventual rompimento destruiria áreas industriais, incluindo restaurante e sede da unidade em Brumadinho. A informação é de abril de 2018.

Rio de lama e contaminação

Também ontem, o Ministro da Saúde, afirmou que bombeiros e voluntários que tiveram contato com a lama da barragem de Brumadinho serão submetidos a exames periódicos, que podem durar 1 ano ou até mais. Os exames avaliarão se estas pessoas foram contaminadas por metais pesados.

O rio Paraopeba, que passa por Brumadinho e por outras cidades mineiras, e, inclusive, é meio de sobrevivência de tribos indígenas da região, está contaminado por metais pesados. Ontem (31), a Fundação SOS Mata Atlântica iniciou uma expedição por todos os 350 quilômetros de rio. O objetivo da fundação é avaliar impactos ambientais e verificar potencial de alcance da lama a outras.

Gerente das tragédias

Um dos executivos da Vale preso deste terça-feira desta semana pela operação que investiga responsáveis pelo rompimento da barragem de Brumadinho já tinha sido denunciado pela tragédia de Mariana, em 2016. Rodrigo Gomes de Melo ocupava, agora, o cargo de gerente-executivo de operações da Vale, justamente na mina do Córrego do Feijão.

Lá atrás, em 2016, quando a Polícia Federal concluiu o inquérito relacionado ao rompimento da barragem de Mariana, não houve pedido de prisão preventiva de Rodrigo e de nenhum dos outros 7 acusados. Na época, a PF entendeu que eles não ofereciam riscos de fuga e que apresentavam, sempre que solicitados, os documentos necessários para a investigação.

Campo Grande em risco?

Levantamento mostra que, no total, em todo o Brasil, 3.5 milhões de pessoas vivem em cidades com barragens perigosas. Em Campo Grande, relatório teria apontado problemas em uma barragem da Águas Guariroba. Consultada pela produção da Blink 102, a Águas diz que nenhuma de suas barragens é considerada como “de risco” e que foram recebidas recomendações de reparos, todas já adotadas.

(Foto: Captação de Água em Lageado | Águas Guariroba)

Comentários

Você também vai gostar:

COLUNISTAS

São vinte anos olhando para você desse mesmo lugar. Um privilégio porque daqui pude assistir seu repouso tranquilo e imaginar seu sonho que vez...

COLUNISTAS

Ouvir dizer que a palavra Beleza vem do hebraico e quer dizer “Onde Deus Brilha”. Achei poético para começar a contar sobre o dia...

COLUNISTAS

Leia, depois ouça…Do-Ré-Mi-Fa-Fa-Fa Declarei minha independência ou morte por volta dos dezessete anos. Na força dessa idade, fui morar no fundo do terreno da...

COLUNISTAS

Ideia boa quando brota na cabeça, desce pelo braço, como quem vai para as pernas, desembarca na mão, vira rabisco e nasce em forma...

ENTRETENIMENTO

Um álbum visual. E falta pouco para o tão aguardado trabalho de Beyoncé chegar ao mercado. A parada da rainha é tão revolucionaria que...

ENTRETENIMENTO

Tom Brady (marido da Gisele) fez uma surpresa no 40 aniversário da top. Só que ele teve ajuda de Stevie Wonder.Sua postagem no Instagram,...

PLANTÃO DE NOTÍCIAS BLINK 102

Você continua atualizado com a Blin102 a qualquer momento com atualizações sobre o novo coronavírus, o Covid-19.

APERTE O PLAY ;)