fbpx

CARREGUE BOAS NOTÍCIAS

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Vamos sintonizar boas notícias?

EMPATIA INFANTIL

Você já ouviu falar do Mathias Krein? Ele é um garoto de 10 anos que tá comovendo a região onde ele mora, no Rio Grande do Sul.

Ele tinha economizado cerca de 340 reais para comprar blocos de lego que ele gosta tanto, mas decidiu usar o dinheiro para ajudar o Hospital São José em Arroio do Meio.

Quando perguntado o porquê, Mathias diz aos seus pais que um dia ele também vai precisar de atendimento.

Claro que a gerência do hospital ficou comovida e agradecida e disse que toda ajuda é bem-vinda.

A cidade tem 22 casos confirmados de Covid-19.

A gerência de Recursos Financeiros e Materiais do hospital disse que vai usar o dinheiro de Mathias para comprar EPIs para os profissionais de combate.

AJUDAR É MAIS IMPORTANTE QUE LUCRAR

Wellington tem um negócio de aluguel de cadeiras para eventos em Salvador, mas por conta da pandemia, eventos estão proibidos na maioria do país.

Paralelo a isso muitas pessoas estão ficando horas em pé nas filas da Caixa para receber o auxílio emergencial disponibilizado pelo governo.

Foi então que Wellington teve uma ideia: Emprestar essas cadeiras para as pessoas se sentarem na fila na calçada.

Ele conta que muita gente fica desconfiada quando ele oferece a cadeira para a pessoa se sentar, e ele tem que repetir que “é de graça”.

Olha só mais um exemplo de solidariedade que merece ser compartilhado por aqui.

HOSPITAL NO ESCURO NA EUROPA

Calma, você leu o título e achou que não era uma boa notícia que iria ler agora, né? Mas é boa notícia sim.

A Espanha é um os países que mais sofreu durante essa pandemia na Europa, mas parece que as coisas estão amenizando por lá.

Em um vídeo divulgado pela instituição Hospital de Campanha, criada para construir pavilhões enormes para serem usados como centro de tratamento para as pessoas com a covid-19, é mostrado o pavilhão 7 tendo suas luzes apagadas, depois de dar alta ao seu último paciente.

O pavilhão 7 chegou a ter 1500 pessoas com covid-19 internadas, mas hoje ele já não é mais necessário.

Há vários outros pavilhões como esse na Espanha que estão sendo desativados aos poucos.

É uma ideia do que a força e a união das pessoas contra um inimigo comum pode fazer. Essa redução na Espanha se deve à grade adesão da população ao isolamento social. Por isso vamos ficar em casa se pudermos, só assim diminuiremos essa curva triste.

TEXTO: @viniprado_

E aí? O que acha do assunto? Comente!

Assine nossa newsletter e receba tudo primeiro!

Não mandamos spam e nem divulgamos seu e-mail! Apenas enviamos mediante sua autorização.