Conecte com a gente

BLINK NEWS

Delcídio cogita acordo de delação premiada

Preso desde o dia 25 de novembro na Superintendência da Polícia Federal em Brasília por acusação de interferência no andamento da operação Lava Jato, o senador Delcídio do Amaral começou a negociar um acordo de delação premiada nesta terça-feira (08). Na última semana, Eduardo Marzagão, assessor do parlamentar, afirmou que Delcídio não pretendia fazer acordo [...]

Preso desde o dia 25 de novembro na Superintendência da Polícia Federal em Brasília por acusação de interferência no andamento da operação Lava Jato, o senador Delcídio do Amaral começou a negociar um acordo de delação premiada nesta terça-feira (08).

Na última semana, Eduardo Marzagão, assessor do parlamentar, afirmou que Delcídio não pretendia fazer acordo de delação.

Nesta segunda-feira (07), A Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra Delcídio e André Esteves, ex-controlador do banco BTG Pactual, pelo crime de impedir e embaraçar a investigação penal.

A procuradoria também denunciou, com a mesma acusação, o chefe de gabinete do senador, Diogo Ferreira, e o ex-advogado do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Ceveró, que responderá ainda pelo crime de patrocínio infiel. Todos estão presos por determinação do Supremo.

Caberá à Segunda Turma da Corte analisar a abertura de ação penal contra os acusados. O julgamento deve ocorrer em 2016, por conta do período de recesso do Judiciário. As penas para os crimes citados variam entre três e oito anos de prisão.

Delcídio e seu chefe de gabinete estão presos na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília. Ribeiro e Esteves estão em um presídio no Rio de Janeiro. As prisões foram executadas no dia 25 de novembro.

A PGR usou depoimentos da delação premiada do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró e de seu filho, Bernardo Cerveró, para embasar a denúncia contra os acusados.

A procuradoria afirma que Delcídio tentou dissuadir Nestor Cerveró de aceitar o acordo de colaboração com o Ministério Público Federal (MPF), ou que, se isso acontecesse, que evitasse delatar o senador e também André Esteves.

Escrito por

Jornalista Brasileira. Produtora de conteúdo. pura canceriana. descobrindo maneiras de agradecer, sempre. respirando fundo, de vez em quando. a louca da poesia, dos contos e das letras de músicas. Journalist brazilian w/ italian citizenship - cargocollective.com/giuliasimcsik

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

PODCAST: Entrevista com o cientista político Victor Garcia

CAFÉ COM BLINK

PODCAST: Saiba mais sobre federalização e autonomia dos Estados

CAFÉ COM BLINK

21 MAI: #6_PRINCIPAISNOTÍCIAS

BLINK NEWS

Michel Temer Preso

BLINK NEWS

WhatsApp chat