Conecte com a gente

VIVA VOZ

Divórcio versus saúde: faz mais mal ou mais bem?

Há um sem número de casos por aí: ah, a história da mulher que depois do divórcio emagreceu tantos quilos, o homem que virou a vida do avesso e hoje está muito mais feliz e satisfeito após o fim de relacionamento, entre outros. Mas será que se divorciar faz bem ou faz mal para sua saúde?

E falando em emagrecimento, temos aqui o caso de uma moça. Seu nome é Jennifer Moats e ela perdeu 57kg após o fim do casamento. Ela sempre lutou contra a balança, principalmente depois da chegada do segundo filho, quando chegou a pesar 107 kg e estava com o alerta ligado na saúde, com pressão alta e no limite para desenvolver diabetes. Após a separação, aos 29 anos, decidiu mudar.

Pam! Eis a frase mágica: decidiu mudar. Faz até parecer que casados não podem mudar drasticamente e ainda permanecerem enlaçados, não é mesmo?

Talvez isso aconteça porque durante o matrimônio acabamos relaxando, principalmente no quesito exercício físico, afinal, estamos fora dos rolês e não existe mais a necessidade de nos provarmos, de irmos à caça, de estarmos nos trinques para encontrarmos alguém para casar e formar família. Daí, quando o fim se anuncia, é necessário recuperar o tempo perdido, pois o mercado da sedução exige.

Noutra ponta, existe uma nova pesquisa que aponta: quando pessoas casadas se tornam solteiras novamente, seja por divórcio ou morte do cônjuge, elas sofrem muito mais que uma perda emocional. Muitas vezes, elas passam por uma piora na saúde física, da qual nunca se recuperam, mesmo se casarem novamente.

Em termos de saúde, não é melhor ter casado e se separado do que nunca ter se casado na vida. Pessoas de meia-idade que nunca se casaram têm menos problemas de saúde crônicos do que divorciados ou viúvos.

Essas descobertas, feitas a partir de um estudo nacional com 8.652 homens e mulheres na casa dos 50 início dos 60 anos, sugere que o estresse físico da perda do cônjuge continua muito tempo depois que as feridas emocionais se curam. Isso não significa que as pessoas devam permanecer casadas a todo custo, mas mostra que o histórico conjugal é um importante indicador de saúde, e que os recém-solteiros devem tomar cuidados especiais com a administração estresse os exercícios físicos, mesmo se eles se casarem novamente.

“Quando seu cônjuge está ficando doente ou perto de morrer, ou seu casamento está piorando e perto de acabar, seu nível de estresse sobe bastante”, disse Linda Waite, professora de sociologia da Universidade de Chicago e autora do estudo publicado na edição de setembro do “The Journal of Health and Social Behavior”. “Você não dorme bem, sua alimentação piora, você não consegue se exercitar, não consegue sair com seus amigos. É todo um pacote de péssimos eventos.”

O que você pensa? O divórcio, em termos gerais, pode fazer bem para a saúde ou faz mesmo é mal?

fonte: noticias.uol.com.br

Notícias em seu email?

Coloque aqui seu melhor e-mail que enviaremos "Blink News" para você semanalmente!

Escrito por

Buscando a felicidade sempre. Apaixonado pela comunicação e pela música. Sonhar, acreditar e jamais desistir, tudo isso sem perder a fé. Locutor, cantor e acadêmico de jornalismo. Apresentador do Viva-Voz. Me siga no insta: @padubotelho.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

Notícias em seu email?

Coloque aqui seu melhor e-mail que enviaremos "Blink News" para você semanalmente!

WhatsApp chat