Conecte com a gente

VIVA VOZ

Do BBB para as ruas: você sabe o que é o beijo-grego?

A mais ou menos um mês, uma nova polêmica tomou conta do BBB e foi parar nas ruas. Estamos falando da prática considerada proibida por muitos e, para outros, uma alternativa interessante de prazer, o sexo oral anal. Praticado numa região com muitas terminações nervosas, este beijo é um estímulo poderoso ao orgasmo, mas, assim como o sexo anal, é tratado com delicadeza e muitas vezes preconceito por parte dos casais.

“É um tabu porque tudo o que é diferente gera uma ideia de proibição na sexualidade, um preconceito. Tudo o que está ligado ao ânus traz essa ideia do pervertido, que é ligado à prostituição, ao errado. O sexo vaginal, por exemplo, é tido como o sexo perfeito. Agora, o beijo e as demais brincadeiras ligadas ao ânus carregam uma conotação negativa”, explica Celso Marzano, urologista, sexólogo e terapeuta sexual, autor do livro “O Prazer Secreto” (Editora Éden).

Marzano afirma que este tipo de carícia estimula uma fantasia muito intensa entre os parceiros, justamente pela ideia de proibição, ou seja, ninguém quer assumir que gosta de beijos e lambidas na região do ânus, mas entre quatro paredes, predomina o vale tudo.

Segundo a sexóloga Elaine Pessini, o problema dessa abordagem hipócrita é que ela abre espaço para a desinformação sobre os cuidados necessários para um beijo-grego seguro para o casal. “O que a gente sempre indica é fazer a higienização cuidadosa do local, para ter o mínimo de resíduos, antes de começar qualquer carícia. Mas é importante lembrar que o ânus nunca vai ficar cem por cento limpo, já que é uma região com muitas bactérias. Alguns casais fazem lavagens com duchas higiênicas, que limpam bem a região, mas o uso frequente delas não é recomendado”.

Para Marzano, mesmo livre de resíduos aparentes, o ânus vai continuar tendo secreções que podem causar algum tipo de infecção bacteriana. Quem aprecia esse tipo de carícia não está imune a algum tipo de DST, como herpes e HPV. Para evitar mais riscos, deve ser praticado sempre antes e nunca depois da penetração anal. Também existem no mercado algumas camisinhas específicas para o ato, mas são difíceis de encontrar e inegavelmente prejudicam parte do prazer na hora do beijo-grego. “É importante lembrar que as camisinhas só protegem a língua, e não a boca como um todo, então o perigo continua existindo. Com os devidos cuidados, é uma região que pode receber o oral sem problemas, tornando-se uma alternativa a mais para o casal”, explica Marzano.

Você praticaria este tipo de sexo ou está completamente fora de questão?

fonte: delas.ig.com.br

 

Escrito por

Buscando a felicidade sempre. Apaixonado pela comunicação e pela música. Sonhar, acreditar e jamais desistir, tudo isso sem perder a fé. Locutor, cantor e acadêmico de jornalismo. Apresentador do Viva-Voz. Me siga no insta: @padubotelho.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

WhatsApp chat