Conecte com a gente

VIVA VOZ

Ele fez: fertilização in vitro e a vida de pai solteiro

Não é muito comum que vejamos uma notícia deste tipo envolvendo homens. O cara que decide utilizar a fertilização in vitro para tornar-se pai solteiro, mas com ele aconteceu. O norte-americano Tom Garden passou toda a vida adulta dedicando-se aos negócios da família e, aos 40 anos, percebeu que faltava um filho para que pudesse se considerar um homem completo. No entanto, como estava solteiro, acreditava que isso seria um obstáculo para realizar o sonho. Até que a mãe de Tom sugeriu que ele procurasse uma clínica de fertilização.

Tom não sabia, mas com a fertilização in vitro seria possível ser pai mesmo sem uma parceira. O único requisito era conseguir uma doadora de óvulos e alguém que aceitasse gerar a criança, como uma barriga de aluguel.

Apesar de parecer simples, o processo não foi fácil. Por ser judeu, a exigência de Tom era que a doadora fosse israelense. Depois de muita procura e conversa, ele conseguiu uma doadora e conheceu Nicole, mãe que quatro filhos que aceitou servir como barriga de aluguel para ele. “Eu me tornei muito amigo dela, não imaginava que poderíamos ser tão próximos”, diz ao site do programa norte-americano “Today”.

No final do ano passado, o Joseph veio ao mundo e realizou o sonho de Tom de ser pai. Para ajudá-lo nessa nova fase, ele contratou uma doula, que acompanhou os primeiros meses do bebê, para ensiná-lo tudo que precisava saber sobre o cuidado com  crianças. Tom conta que Nicole a doula foram essenciais para que ele pudesse exercer a paternidade de forma mais confiante. “Por conta delas eu me tornei capaz de cuidar de Joseph”, fala o pai solteiro.

Tom comenta que ainda tem seis embriões em armazenamento para que possa ter outros filhos. “Meu plano é ter uma criança todos os anos até ter pelo menos quatro”, revela. Ao ser questionado sobre contar ou não aos filhos que eles são resultados de um procedimento artificial, Tom diz que não pretende omitir e será honesto com as crianças. “Eles são muito especiais e estão aqui porque seu pai os ama e os quer”, finaliza.

Paternidade tardia

O  médico responsável pelo processo de fertilização in vitro, Thomas Molinaro, comentou sobre a paternidade tardia – como a de Tom. De acordo com ele, a maioria dos homens solteiros acredita que é tarde de mais para se tornarem pais ou pensam que sem uma parceira a paternidade é algo impossível. “A realidade é que histórias como a de Tom não são comuns”, comenta. Desse modo, Tom surge como uma inspiração para todos os homens que sempre sonharam em ser pais, mas acharam que seria impossível.

O que você pensa a respeito dessa modalidade de paternidade?

fonte: deles.ig.com.br

 

 

Escrito por

Buscando a felicidade sempre. Apaixonado pela comunicação e pela música. Sonhar, acreditar e jamais desistir, tudo isso sem perder a fé. Locutor, cantor e acadêmico de jornalismo. Apresentador do Viva-Voz. Me siga no insta: @padubotelho.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Flávio

    11/07/2017 em 15:29

    Com toda uma estrutura legal que trata d emaneira desigual homens e mulheres, somado aos riscos emocionais e financeiros que envolvem as disputas por guarda e mesmo apenas visitas, expondo não raro os pais a toda sorte de chantagens, é uma atitude no minimo mais segura! Afinal, filhoes não devem ser objeto de barganha e tampouco de ameaça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

WhatsApp chat