Conecte com a gente

VIVA+

Finanças em casal. Quais os riscos?

A gente sabe que quando pensamos em finanças e dinheiro, nossa cabeça já vai a mil. Despesas com água, luz, telefone, energia elétrica, estudos, crianças… e por aí vai. Fica difícil organizar quem da casa vai pagar o que.

“Ah, mas em casa, eu tenho conta conjunta e assim fica tudo mais fácil!”

Será mesmo, jovem padawan?

Vamos agora, de maneira justa, listar as vantagens e desvantagens de ter conta em banco conjunta. Está preparado? Então vamos lá!

Para o educador financeiro do instituto Dsop e autor do best seller “Terapia Financeira”, Reinaldo Domingos, a conta conjunta entre pais e filhos, por exemplo, costuma ser vantajosa quando o pai tem idade avançada ou limitações.

Quanto mais pessoas tem acesso, mais complicado é controlar

Já a especialista Suyen Miranda, afirma que para casais o ideal é que a conta conjunta seja aberta para despesas conjuntas, mas é indispensável as contas individuais para cada um controlar seu próprio dinheiro, principalmente se um tiver o habito de gastar mais que o outro.

Domingos alerta que em caso de conta conjunta, é recomendado abrir poupança ao invés da corrente, assim o rendimento cresce. Mas tem que administrar muito bem o uso.

E tem que levar outra coisa em questão é a intimidade financeira. Isso pode atrapalhar a relação, pois não haverá mais privacidade na relação.

Voltamos naquela questão que sempre batemos na tecla aqui, que é a de que um relacionamento deve compartilhar momentos e não viver a vida do outro. Cada um tem que viver sua própria vida.

Um exemplo de que intimidade financeira demais pode causar um mal-estar é se um resolve comprar um presente pro outro. Aí consultando o extrato, o outro pode ver facilmente quanto custou aquele tal presente.

Isso pode causar um expando com excesso de valor gasto, ou indignação caso o valor seja menos do que o outro acha merecer.

Sem contar que em caso de divórcio, isso pode agravar ainda mais a situação, por não haver mais privacidade individual de gastos e a dor de cabeça de ter que ir ao banco e cancelar a conta.

Para resumir, vamos colocar aqui um comparativo clássico de quando conta conjunta é uma solução ou um problema.

SOLUÇÃO

  • Filhos que compartilham a conta com pais idosos ou incapacitados de movimentá-la sozinhos.
  • Conta poupança em conjunto para acumular recursos em torno do mesmo objetivo.
  • Uma conta conjunta apenas para as despesas cotidianas e outra individual, para receber o salário e outras rendas.

PROBLEMA

  • Misturar recursos para aposentadoria e independência financeira na conta compartilhada.
  • Necessidade de desfazer a conta e separar as finanças em caso de divórcio.
  • Quando um dos titulares gasta mais do que deveria ou não há confiança mútua na relação.
  • Perda da privacidade financeira do casal.

Fonte: Economia – iG

Escrito por

Comunicador formado em 2010, se encontrou no rádio como uma fonte de energia 100% renovável. O hobbie é modelismo (miniaturas de veículos, edifícios, etc.), design gráfico e, claro, Netflix.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

Atenção ao acessar sua conta do banco pela internet. Dicas importantes!

TECNOLOGIA

Pesquisa revela o número de endividados em Campo Grande e números diminuíram

BLINK NEWS

Em maio dólar sobre 5% devido a tensão política

BLINK NEWS

Loteria da Caixa pode pagar R$16 milhões hoje

BLINK NEWS

Blink102 Blink102 Blink102 Blink102 Blink102

Comentários

“TagSômetro”

Posts recentes

Publicidade Blink102 Blink102 Blink102 Blink102 Blink102 300x250
Blink102 300x250
WhatsApp chat