Ação sobre mar de lama em Brumadinho (MG) prendeu oito funcionários da Vale na manhã desta sexta-feira (15). Os oito presos são funcionários da mineradora e, de acordo com o Ministério Público, quatro são gerentes (dois gerentes executivos) e quatro são integrantes de áreas técnicas. Entre os presos está Alexandre de Paula Campanha que, segundo depoimento dado para a polícia, teria pressionado funcionários de empresa alemã a assinar laudo de estabilidade da barragem.

Ontem (14), o presidente da mineradora, Fábio Schvartsman, defendeu, em entrevista, que a Vale não pode ser condenada por causa do que ele considera “um único acidente”. Segundo Schvartsman, a Vale é uma “joia brasileira”.

O número de mortos pelo rompimento das barragens do Córrego do Feijão subiu para 166 e mais de cento e quarenta e cinco pessoas permanecem desaparecidas. Corpo de Bombeiros entra na terceira semana de buscas.

Deixe um comentário