O usuário não poder ser, de forma nenhuma, prejudicado. A colocação do presidente da Anatel foi totalmente desnecessária e está causando muita celeuma, como não poderia deixar de ser. Talvez em alguns países não existam (planos ilimitados), mas a realidade do Brasil precisa ser respeitada.

declarou o ministro.

A fala em entrevista ao jornal O Globo, foi motivada pelas declarações do presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), João Rezende, que afirmou na semana passada que a internet ilimitada estaria acabada.

Figueiredo diz que espera ter assinado – até o início de maio – um acordo que garanta a continuidade “da venda de pacotes ilimitados; a garantia de que contratos com usuários não serão modificados e que o usuário possa saber todo o tempo o seu consumo de dados.