Atenção você que gosta de cozinhar e tem vontade de aprender os pratos regionais aqui do MS.

A partir de sexta-feira agora, dia 26, os chefs de cozinha vão começar a invadir as lives.

Depois de cantores e bandas, artesãos, escolas e museus, e até o arraial de Santo Antônio, agora é a vez de aprender a cozinhar.

A partir dessa sexta feira, as 11h da manhã poderemos aprender com a live, a cozinhar os pratos típicos daqui do estado, e a primeira live vai ser com o cozinheiro Teo Luiz, que vai ensinar a fazer o macarrão pantaneiro, ou macarrão de comitiva, como muitos conhecem. as lives acontecem uma vez por mês com algum cozinheiro local ensinando pratos regionais como sobá, paella pantaneira, peixe a urucum, sopa paraguaia e arroz carreteiro.

Se você tem interesse, acompanhe as redes sociais da Sectur, @secturcg.

Assim a gente pode continuar em casa e ainda aprender algo novo, não é?

Garotinho autista é protegido por seus dois cães

A gente sabe que quem está no espectro autista demanda bastante atenção e carinho, e esse carinho pode vir de qualquer lugar que faça a pessoa se sentir confortável e seguro, mesmo em situações perigosas, como foi o caso do Marshal Butler.

Ele é um garotinho de 3 aninhos de idade que desapareceu de sua casa na semana passada. Os vizinhos começaram a procurar o garotinho junto com os familiares imediatamente após eles deram falta da criança.

Cerca de 1h depois, policiais do condado de Walton se uniram ao grupo e acabaram localizando o pequenino.

Ele estava a apenas meio quilômetro de casa, mas estava seguro, sem nenhum machucado e acompanhado de seus dois cães. Como Marshal adora brincar na terra, ele estava é sujo (risos), mas na boa companhia dos doguinhos que não deixaram nada de ruim acontecer com o garoto.

É nessas horas que percebemos o carinho que nossos bichinhos de estimação sentem por nós e entendem quando precisamos deles, mesmo que a gente não peça.

Primeira unidade feminina no combate à caça ilegal na África do Sul

Agora vou te contar uma história que começou em 2017. A história das Black Mambas, um grupo protetor de animais formado na África do Sul que protege as reservas contra caçadores ilegais.

Esse grupo é formado apenas por 33 mulheres e diferente dos grupos de caças normais que são formados por militares e possuem armas, as Black Mambas fazem um trabalho diferente: elas caminham pela reserva todos os dias sem arma alguma, apenas um rádio para pedir ajuda quando necessário.

Desde que as Black Mambas foram fundadas, o número de rinocerontes abatidos ilegalmente caiu drasticamente.

O programa ainda treina jovens e crianças para que aprendam a importância de se preservar a vida selvagem.

Hoje em dia os chifres de rinoceronte valem mais do que ouro e são alvos de caçadores ilegais que invadem as reservas na madrugada para matar esses animais e retirar os chifres.

Por não carregarem armas e andarem mais de 8 horas por dia no sol por toda a reserva elas são consideradas as grandes heroínas da região e mostram que o futuro precisa ser construído com amor, dedicação e coragem, e que não se pode combater a violência com mais violência.

Inspirador, né?

TEXTO: @viniprado_

Deixe um comentário