fbpx

Marinheiros salvos por sinal de S.O.S. na praia

#Boas Notícias Marinheiros salvos por sinal de S.O.S. na praia

Presta atenção no que vou contar e me diz se é filme ou realidade:

Três marinheiros pegaram seu pequeno barco de sete metros e saíram do porto de Poluwat (Poluét), na Micronésia, e tinham um caminho de 42 quilômetros programado.

Durante a viagem, o barco se desviou da rota, e acabou o combustível.

Foram parar em uma pequena ilha, Pikelot (Piquelô), que só tem 450 metros de comprimento no meio do oceano Pacífico, certa de 190 quilômetros  de onde tinham partido.

Sem comida, água ou como voltar, resolveram escrever a palavra SOS na areia para que alguém possa ver e fazer o resgate.

Foram resgatados 3 dias depois, por que um helicóptero passou pelo local, avistou o sinal e deixou mantimentos até um navio vir buscá-los.

E aí, filme ou realidade?

Se você pensou realidade, você acertou!

Isso realmente aconteceu, o barco deles saiu no dia 30 de julho e acabou se desviando tanto da rota que acabou o combustível sem que percebessem.

Para você ter ideia da sorte deles, a ilha desabitada em que estavam é realmente pequena, e cercada de água por todos os lados num  arquipélago ao norte da Austrália.

Para ver o sinal escrito na areia, qualquer voo tem que passar diretamente acima da ilha e em baixa autitude para conseguir ler.

Agora uma curiosidade, mesmo que você já tenha ouvido falar do sinal de socorro SOS, você sabe o que ele significa?

Significa Save Our Souls (Sêivi Áur Sôuls), Salve Nossas Almas em inglês.

O sinal foi criado no começo do século 20 e se tornou muito popular depois do naufrágio do Titanic, que foi uma das primeiras situações ao se usar o recém criado sinal.

Bom, que esses marinheiros agora aproveitem a sorte de conseguir serem resgatados, e não partam mais sem uma boa bússola, certo?

Ex-faxineira colombiana hoje é chefe de missões na Nasa

Agora vou contar uma história de uma mulher que superou muita coisa e conquistou seu sonho.

Diana Trujillo (Trurrío) saiu da Colômbia com apenas 17 anos para morar nos EUA. Seu maior sonho era trabalhar na NASA, A Agência Espacial Norte Americana.

Para conseguir chegar a isso, ela começou a fazer faxina para ganhar dinheiro para pagar os estudos.

O inglês também foi uma dificuldade, precisou aprender com muito esforço a falar nesse novo idioma, e estamos falando do ano 2000, um ano em que a internet ainda não estava na palma da mão das pessoas.

Ela conta que o motivo de ter saído foi causado por seu pai ter saído de casa e levado tudo o que ela e a mãe dela tinham, então a ideia dela era ir para os EUA, juntar dinheiro para ajudar e depois voltar.

Mas logo que chegou lá, conseguiu entrar pra Universidade da Flórida e ganhou a bolsa completa por ser uma das melhores alunas, aí terminou seus estudos de Engenharia Aeroespacial.

Com o incentivo de um dos professores ela fez a longa prova para estágio na Academia da NASA. E mesmo cada pergunta tendo mais de 300 palavras, em inglês. E com a ajuda de um amigo que auxiliou no idioma, ela conseguiu ser aprovada.

Ela então entrou na NASA em 2006, e se tornou a primeira mulher latina a entrar para o programa espacial.

Hoje ela é chefe da Missão Curiosity (Curiôziri), uma missão de exploração em marte, que tem objetivo de explorar o solo marciano para entendermos melhor a formação do sistema solar e como o nosso planeta vizinho ganhou um clima tão diferente da Terra mesmo sendo praticamente composto das mesmas substâncias.

Hoje Diana, está em destaque porque a NASA anunciou mais uma etapa dessa missão em direção a Marte, com um novo robô, projetado por Diana que vai colher informações e amostras especiais para ajudar na pesquisa.

Essa história é um incentivo para você continuar lutando sempre.

Vamos nos inspirar em Diana quando pensarmos em realizar nossos sonhos.

Texto: viniprado_

E aí? O que acha do assunto? Comente!