Conecte com a gente

BLINK NEWS

Moody’s rebaixa nota e Brasil perde selo de bom pagador de principais agências

Foi tirado o selo de bom pagador do Brasil pela agência de classificação de risco Moody's, nesta quarta-feira (24). A nota da dívida brasileira passou de "Baa3" para "Ba2". Com isso, o país perdeu o chamado "grau de investimento", ou seja, deixou de ser considerado um lugar recomendável para os investidores aplicarem seu dinheiro. A Moody's é a terceira [...]

Foi tirado o selo de bom pagador do Brasil pela agência de classificação de risco Moody’s, nesta quarta-feira (24). A nota da dívida brasileira passou de “Baa3” para “Ba2”. Com isso, o país perdeu o chamado “grau de investimento”, ou seja, deixou de ser considerado um lugar recomendável para os investidores aplicarem seu dinheiro.

A Moody’s é a terceira agência a tirar o selo de bom pagador do país. 

A agência colocou a nota do país em perspectiva negativa, indicando que mais cortes podem acontecer.

Segundo a Moody’s, o rebaixamento foi motivado pela “perspectiva de deterioração adicional dos indicadores de dívida do Brasil em um ambiente de baixo crescimento, com a dívida provavelmente excedendo 80% do PIB nos próximos três anos”.

Além disso, a Moody’s destacou “a desafiadora dinâmica política, que continua dificultando os esforços de consolidação fiscal das autoridades e adiando reformas estruturais”.

“A perspectiva negativa reflete a visão de que riscos de uma consolidação e recuperação ainda mais lentas, ou de que ocorra choques adicionais, estão crescendo”, afirmou a agência.

Das três grandes agências, a Moody’s era a única a manter o Brasil com o selo de bom pagador. A agência havia colocado a nota do país em revisão para rebaixamento em dezembro e seus representantes estiveram no país no começo deste mês para verificar as perspectivas para a economia brasileira. 

Na semana passada, a S&P voltou a rebaixar a nota da dívida brasileira, de “BB+” para “BB”, alertando que os desafios políticos e econômicos do país ainda são “consideráveis”. A agência manteve a nota com perspectiva negativa, o que significa que pode haver novo corte no futuro próximo.

Se houver desconfiança sobre essa devolução, fica difícil conseguir vender esses títulos, e o país tem de pagar mais juros aos investidores para compensar o risco maior. O país com mais confiança são os EUA.

Notícias em seu email?

Coloque aqui seu melhor e-mail que enviaremos "Blink News" para você semanalmente!

Escrito por

Jornalista Brasileira. Produtora de conteúdo. pura canceriana. descobrindo maneiras de agradecer, sempre. respirando fundo, de vez em quando. a louca da poesia, dos contos e das letras de músicas. Journalist brazilian w/ italian citizenship - cargocollective.com/giuliasimcsik

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

03 JUL #6_PRINCIPAISNOTÍCIAS

BLINK NEWS

03 JUN: #6_PRINCIPAISNOTÍCIAS

BLINK NEWS

15 ABR: #6_PRINCIPAISNOTÍCIAS

BLINK NEWS

28 FEV: #6_PRINCIPAISNOTÍCIAS

BLINK NEWS

Notícias em seu email?

Coloque aqui seu melhor e-mail que enviaremos "Blink News" para você semanalmente!

WhatsApp chat