Nova molécula pode ser a cura para leucemia

Pesquisadores do Instituto Carlos Chagas (ICC/Fiocruz) em Curitiba desenvolveram uma molécula que pode reinventar o tratamento contra alguns tipos de câncer, sobretudo a Leucemia Linfóide Aguda (LLA). Descoberta da ‘asparaginase humana’ é o primeiro passo de um caminho de cerca de dez anos para que, caso tudo corra bem, portadores de leucemia aguda possam sofrer menos durante tratamento.

Na terapia convencional, a asparaginase é administrada junto a diferentes coquetéis de medicamentos, em múltiplas injeções, durante duas das três etapas no tratamento contra a leucemia aguda: a remissão e a consolidação. A possibilidade de cura com o tratamento chega a 90%, de acordo com o Ministério da Saúde.

A doença atinge principalmente crianças e adolescentes e hoje, no Brasil, cerca de 4 mil pacientes fazem tratamento com a asparaginase bacteriana. A molécula é importada de países como Alemanha e Estados Unidos e repassada pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Os dados são do Instituto Carlos Chagas (ICC/Fiocruz)

Quer falar com a BLINK?