Conecte com a gente

VIVA VOZ

O bullying matou dois adolescentes de Goiânia?

Na última sexta-feira, uma tragédia chamou a atenção do país para um problema crescente nas escolas brasileiras. De acordo com familiares de alunos de uma escola em Goiânia, onde um adolescente abriu fogo contra colegas dentro de sala, o atirador era vítima de bullying. Os sentimentos provocados pelas piadas de colegas podem ter sido a motivação do estudante. Depois de um disparo dentro da própria mochila e de um tiro para o alto, o adolescente mirou em um colega sentado na carteira atrás dele, que implicava com ele, segundo parente de uma aluna da mesma turma. O caso deixou ao menos dois adolescentes mortos e quatro feridos.

No Brasil, aproximadamente um em cada dez estudantes é vítima frequente de bullying nas escolas. São adolescentes que sofrem agressões físicas ou psicológicas, que são alvo de piadas e boatos maldosos, excluídos propositalmente pelos colegas, que não são chamados para festas ou reuniões. O dado faz parte do terceiro volume do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2015, dedicado ao bem-estar dos estudantes.

A prática constante da violência psicológica parece ser capaz de colocar os adolescentes num estado mental de irrealidade. Agressores e agredidos passam a viver num universo em que as regras sociais e os parâmetros do bom senso não fazem mais sentido. Instalado esse cenário, basta um passo — ou um disparo acidental — para que uma vingança sanguinária se concretize.

No Brasil, 17,5% disseram sofrer alguma das formas de bullying “algumas vezes por mês”; 7,8% disseram ser excluídos pelos colegas; 9,3%, ser alvo de piadas; 4,1%, serem ameaçados; 3,2%, empurrados e agredidos fisicamente. Outros 5,3% disseram que os colegas frequentemente pegam e destroem as coisas deles e 7,9% são alvo de rumores maldosos. Com base nos relatos dos estudantes, 9% foram classificados no estudo como vítimas frequentes de bullying, ou seja, estão no topo do indicador de agressões e mais expostos a essa situação.

O atirador disse que foi motivado pelas tragédias semelhantes, envolvendo bullying em escolas, de Columbine, nos Estados Unidos, em 1999, e em Realengo, no Rio de Janeiro, em 2011.

Você já sofreu bullying? Como acha que este problema deve ser tratado, principalmente pelos pais que tem filhos na escola e pelas autoridades públicas?

Fonte: Agência Brasil / O Globo / Veja

Escrito por

Buscando a felicidade sempre. Apaixonado pela comunicação e pela música. Sonhar, acreditar e jamais desistir, tudo isso sem perder a fé. Locutor, cantor e acadêmico de jornalismo. Apresentador do Viva-Voz. Me siga no insta: @padubotelho.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

WhatsApp chat