fbpx

O que a raiz do seu cabelo e um emprego tem em comum?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Pois é minha gente! Aqui em Campão tem gerente de “loja chiclê” dizendo para aspirante a vaga de vendedora na entrevista de emprego, que a raiz do cabelo e suas sobrancelhas por fazer, “não estavam de acordo com o padrão para atender na loja”.

Esse relato aconteceu em um grupo do facebook chamado “AOnde não ir em Campo Grande” e apesar do grupo ter foco específico na relação atendimento do cliente versus proprietários, a jovem Letícia soltou o verbo para a humilhação que passou.

No texto ela conta que a raiz do cabelo ruivo estava sem retoque, justamente porque ela está desempregada e não tinha dinheiro para realizar o procedimento com um profissional. A gerente “intrometida” ainda perguntou se ela continuaria com a cor do cabelo e completou questionando se ela faria a sobrancelha.

Letícia disse que se sentiu humilhada, agradeceu a vaga e foi embora para sua casa.

Aooooo Campão quem vive de aparência é vitrine. Pessoas tem problemas, dificuldades e sentimentos! Mais empatia por favor né?

Depois do relato que já conta com quase 5.000 reações no facebook e quase 2.000 comentários, vários profissionais da beleza se dispuseram de maneira gratuita auxiliar Letícia recuperar a autoestima perdida naquela “terrível” entrevista de emprego.

Cada uma oferta o que tem no coração! Uns dão pedras, outros flores!

Confira o texto de Letícia na íntegra.

“Oi gente o meu aonde não ir em Cg, é mais pela questão de emprego mesmo. (Não é o foco da página mas é aonde não ir mesmo)
Sábado as 15:00 eu tive uma entrevista agendada no — na loja —.
Eu cheguei antes das 15:00, e fui conversar com a gerente F., até aí tudo bem. Ela em nenhum momento focou no meu currículo, apenas em um detalhe, meu cabelo.
Ela me disse as seguintes coisas: o que você quis passar com seu cabelo? Eu não entendi essa cor, esse tom dele, você pode me dizer?
Eu na hora segurei o choro sabe, e disse: então eu to desempregada né? Não tem como eu pintar ele, mas eu sou ruiva e sorri.
Mas ela não parou ela ainda disse: tem certeza que vai continuar com essa cor? Você pretende ser ruiva ainda? E ainda me mostrou a foto de uma das funcionárias na intenção de dizer; esse é o cabelo ideia.
Disse que na loja não tem como ter cabelo sem retoque os clientes sempre reparado nisso, eu estava sem fazer a sobrancelha né?! Aí ela disse isso também indiretamente.
Eu simplesmente engoli o choro e resolvi ser uma coisa que ela não foi, eu fui educada, disse que não queria mais a vaga, que não gostei do que ela disse, que sou uma ótima atendente e que não é meu cabelo que me define, e que quando eu posso eu pinto e até acham que sou ruiva natural. Então eu não ia trabalhar em um ambiente que me trate assim, agradeci a oportunidade e a entrevista e desejei um ótimo sábado e uma boa tarde e sai chorando rsrsrs.
Não to fazendo isso por drama pois não preciso, mas as empresas precisam entender que nós as vezes não temos passe, dinheiro para imprimir o currículo, então o mínimo é ter educação. Não importa se é loja de moda, beleza, o que for acho que educação não machuca, não queria me ter na loja usa a desculpa: qualquer coisa te ligo.
Nada justifica o preconceito e humilhar alguém!
E foi assim que eu fui, e é assim meu cabelo.

Acesse o link e veja o post original:

https://www.facebook.com/groups/AONDE.NAO.IR/permalink/3444948358875722/

E aí? O que acha do assunto? Comente!

Negras Poderosas de Campão!

O Dia da Consciência Negra, 20 de novembro. Em 823 cidades do Brasil é considerado feriado. Essa data é lembrada oficialmente desde 2011. Marcada pela

Leia mais »

Assine nossa newsletter e receba tudo primeiro!

Não mandamos spam e nem divulgamos seu e-mail! Apenas enviamos mediante sua autorização.