Conecte com a gente

VIVA VOZ

Os produtos vendidos hoje e o câncer: você tem medo?

Vamos lá, hoje, viver uma vida saudável, longe dos vícios e evitando comportamentos de risco muitas vezes não é garantia 100% de que você não vá pegar uma doença séria, como câncer, por exemplo. Afinal, predisposições genéticas e até mesmo o azar, podem fazer com que você receba uma má notícia da noite pro dia. Veja este caso: a empresa de produtos de higiene pessoal Johnson & Johnson foi condenada a pagar uma multa bilionária após uma cliente alegar que um talco da companhia possui substâncias cancerígenas. A decisão foi tomada por um tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, que determinou o pagamento de US$ 417 milhões (aproximadamente R$ 1,3 bilhão, na cotação atual) para Eva Echeverria, de 62 anos.

O uso do talco da Johnson & Johnson teria contribuído para causar seu câncer de ovário, diagnosticado em 2007, segundo o jornal “Los Angeles Times”. Em sua acusação, a cliente afirmou ter usado o produto de higiene íntima durante décadas e alegou que a empresa deveria informar sobre o risco de desenvolver a doença ao utilizá-lo. Esta é a terceira vez que a marca é condenada a pagar uma indenização como esta.

Em fevereiro de 2016, um tribunal de Saint Louis, nos EUA, condenou a J&J a pagar US$ 70 milhões (cerca de R$ 220 milhões) a uma cliente que fez a mesma alegação. Em maio deste ano, em Missouri, outro júri condenou a companhia a indenizar uma cliente em US$ 110 milhões (R$ 345 milhões) pelo mesmo motivo. Ainda de acordo com o jornal, este foi o pior resultado para a J&J nos tribunais.

Com diversos acusações em andamento, a companhia está envolvida em cerca de 300 processos somente na Califórnia. Em todo o território norte-americano são mais de 4,5 mil ações. A Johnson & Johnson, por sua vez, alega que não há estudos que apontem que o talco seja um produto cancerígeno e anunciou que recorrerá da decisão. A empresa também publicou uma nota oficial em seu site. Confira o texto na íntegra:

“Câncer de ovário é um diagnóstico devastante e somos profundamente solidários com as mulheres e as famílias impactadas por esta doença. Nós recorreremos do veredito atual porque somos guiados pela ciência, que sustena a segurança do Johsnon’s Baby Powder [talco utilizado pela cliente]. Em abril, o National Cancer Institute’s Physician Data Query Editorial Board [Conselho Editorial de Consulta de Dados Médicos do Instituto Nacional do Câncer] escreveu: ‘O peso da evidência não sustenta a associação entre a exposição perienal ao talco e um aumento do risco do câncer de ovário’. Estamos nos preparando para julgamentos adicionais nos Estados Unidos e continuaremos a defender a segurança do Johnson’s Baby Powder”.

Dito isso, é comum você ouvir por aí de pessoas coisas como, “ah, não adianta você ficar tão neurótico com o que consome, porque tudo dá câncer hoje em dia”, de alimentos a bebidas, de cigarro a talco de bebê.

Você se preocupa em demasia com essas questões hoje?

fonte: economia.ig.com.br

 

Escrito por

Buscando a felicidade sempre. Apaixonado pela comunicação e pela música. Sonhar, acreditar e jamais desistir, tudo isso sem perder a fé. Locutor, cantor e acadêmico de jornalismo. Apresentador do Viva-Voz. Me siga no insta: @padubotelho.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

WhatsApp chat