Tudo em segredo: mulher faz fertilização in vitro e troca esperma de marido pelo do amante
Conflitos da Democracia questiona: as instituições democráticas do Brasil estão funcionando?

Perdidos no fogo: tragédias que incendiaram nossa história

Reprodução: https://glo.bo/2wLGv5t

Ainda não deu pra engolir.

Uma tragédia anunciada causada pela negligência do poder público engolfou nossa história, a do ser humano, em questão de horas. O Museu Nacional do Rio de Janeiro, o mais antigo do Brasil, ardeu em chamas.

Milhares de exemplares de nossa rica evolução e obras históricas de valor incalculável, um retrato do passado agora extinto e reduzido a cinzas. O duro é pensar que não foi a primeira vez. Só na última década, diversas instituições culturais sofreram incêndios que apagaram para sempre parte da cultura brasileira e mundial. Saca aí:

Teatro Cultura Artística – 2008

Localizada em São Paulo, a Cultura Artística é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que foi fundada em 1912 para promover a arte na cidade. Na década de 1950, com a inauguração do Teatro, a instituição finalmente teve sede própria, que foi parcialmente destruída em 2008, quando um incendiou consumiu cenários das duas peças que estavam em cartaz, figurinos, aparelhagem técnica, plateia e dois pianos Steinway et. Sounds.

Instituto Butantan – 2010

Em maio de 2010, a história da biologia brasileira e mundial levou um baque com o incêndio que atingiu o Instituto Butantan, fundado em 1901, em São Paulo, e responsável pela criação de soros e vacinas contra cobras, aranhas e escorpiões. Ao todo, estima-se que 70 mil espécimes conservadas em formol tenham sido queimadas.

Memorial da América Latina – 2013

Um incêndio de grandes proporções tomou conta do Memorial da América Latina, em novembro de 2013, consumindo palco, cadeiras, carpetes e forrações, inclusive uma tapeçaria de 840 m² criada pela artista plástica Tomie Ohtake que decorava uma das paredes do Memorial. O trabalho de reconstrução e restauração demorou 4 anos.

Centro Cultural Liceu de Artes e Ofícios – 2014

Fundado em 1873 sob a alcunha de Sociedade Propagadora de Instrução Popular, o Centro Cultural Liceu de Arte e Ofícios de São Paulo se tornou referência no ensino de técnicas como marcenaria, serralheria e desenho. Em 2014, um incêndio em um dos galpões destruiu móveis e obras de arte que serviam de inspiração aos alunos. A reforma do local demorou 4 anos, com o espaço sendo reaberto apenas no mês passado.

Museu da Língua Portuguesa – 2015

Inaugurado em 2006 em um prédio construído em 1867, o Museu da Língua Portuguesa sofreu um enorme incêndio em 2015, quando boa parte da estrutura física ficou danificada. Um bombeiro que trabalhou na contenção das chamas acabou morrendo de parada cardiorrespiratória. Felizmente, a maior parte do acervo não sofreu danos, já que era digital e de fácil recomposição.

Cinemateca Brasileira – 2016

Fundada em 1946, a Cinemateca Brasileira está localizada em São Paulo tem o objetivo de preservar a memória do audiovisual brasileiro. A instituição já sofre 4 grandes incêndios ao longo de sua história, sendo que o último, ocorrido em fevereiro de 2016, causou a perda completa de ao menos 731 títulos, principalmente de cinejornais e curtas-metragens. Outros itens consumidos pelo fogo tinham cópias em diferentes formatos.

E esse descaso, até quando?

fonte: megacurioso.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.