fbpx

Plantações de alimentos nas calçadas de Los Angeles

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Plantações de alimentos nas calçadas de Los Angeles

Escuta essa história do Ron Finley um cara que ta dando o que falar lá nos EUA.
Ele cultiva os próprios alimentos e acredita que todos deveriam fazer o mesmo.
Ele cresceu na região sul de Los Angeles, na Califórnia. Esse local é conhecido por ser uma região bem pobre, onde não há feiras, nem mercados, e é cercada de redes de fast-food. Para comprar frutas e verduras era necessário fazer uma viagem de 20 km.
Ron teve então uma ideia de começar a cultivar sua própria floresta comestível. Começou plantando frutas na sua calçada, o que causou certo desconforto nos moradores no começo, mas depois acabou ganhando apoio deles.
Inspirado pelo apoio dos vizinhos, Ron criou a LA Green Grounds, que é uma organização voluntária, que ajuda moradores da região na montagem e manutenção dos seus próprios jardins comestíveis.
Com isso ele leva suas agroflorestas a todo canto da periferia de Los Angeles.
Essa é uma ideia genial, que todos deveriam seguir.
Se você não tem experiência com jardinagem, ou nem espaço, comece com coisas pequenas como temperos, manjericão, alecrim, hortelã, todas essas hortaliças podem ser plantadas em vasos e são super fáceis de cuidar. Só procurar uma loja de jardinagem pertinho de vc onde vendem essas mudas que custam tão baratinho e crescem bem rápido.
Depois, se você se sentir preparado pode ir partindo pra outras coisas mais complexas.

Suco do Enzo ajuda hospital no interior de SP

Enzo tem 6 anos e decidiu um belo dia que queria ajudar a comprar um respirador para o hospital da sua cidade.
Tudo aconteceu um dia na hora do almoço, onde ele e sua família estavam comendo e tomando suco.
Com a TV ligada ele ouviu a reportagem dizendo que uma outra criança estava vendendo laços para doar para o hospital e ele então na hora disse para a mãe dele que tinha ideia de vender os sucos pra ajudar os médicos da cidade deles.
A mãe apoiou a ideia e foi então que eles prepararam uma barraquinha na calçada e usando proteção e máscara ele começou a vender os sucos para os vizinhos.
Depois q juntou 100 reais, ele quis levar pessoalmente o dinheiro no hospital.
A mãe, então informou o hospital, que preparou uma recepção bem legal para ele.
O presidente do hospital mandou higienizar uma ambulância para levarem ele para dar uma volta e ainda disse ao garoto que quando chegasse a hora, se ele fizesse faculdade de medicina, teria ali um emprego garantido.
As crianças tem na sua essência algo muito bonito que às empurra na direção de ajudar os outros. Todos somos assim, mas durante nossa vida a gente vai perdendo esse impulso e colocando outras necessidades próprias no lugar.
Por sorte temos crianças como o Enzo que nos fazem lembrar disso e nos faz querer ajudar da forma que podemos.
E se você está se perguntando como que pode ajudar, eu já vou te dar uma ideia que pode ser aplicada por todo mundo e de quebra ajuda você no processo.
FIQUE EM CASA. Assim você está ajudando a não lotar os hospitais, ajudando a sua família e pessoas que convivem no seu seio familiar.
O isolamento social é algo extremamente necessário agora. Então vamos fazer a nossa parte.

Professor leva deveres de casa a alunos sem acesso a internet

A gente sabe que a pandemia forçou o sistema de ensino a mudar. Todas as secretarias estão fornecendo o material pela internet.
Mas quando o professor José Jovino no Agreste Pernambucano recebeu a confirmação disso, se questionou na hora como ficariam os alunos que não tem acesso à internet.
Lá onde ele mora, são apenas 4 casas com internet, as outras 10 não tem.
Ele então decidiu que iria pessoalmente entregar as tarefas para os alunos toda semana e recolher as da semana anterior.
Ele então começou a imprimir todas as atividades, pegar sua moto e ir distribuir as tarefas e deveres.
O lado bom disso é que os pais estão ajudando mais e isso fortalece o vínculo de aprendizado dos alunos.
Vale ressaltar aqui que o plano de aulas online é válido, mas quando pensamos no acesso à internet, percebemos que 25% das crianças no Brasil, não tem acesso.
Por isso é tão importante atitudes como a do professor José.
Ele conta que nos 30 anos da sua carreira, é a primeira vez que isso acontece. De acordo com ele, o desempenho dos alunos está bom, que os alunos estão se esforçando e os pais ajudando.
E a moral disso tudo é que muitas vezes o que nos torna diferentes é sair da zona de conforto e fazer mais do que sua obrigação para ajudar os outros, como o professor José faz.
Afinal, essas crianças são o nosso futuro.

E aí? O que acha do assunto? Comente!

Assine nossa newsletter e receba tudo primeiro!

Não mandamos spam e nem divulgamos seu e-mail! Apenas enviamos mediante sua autorização.