Se você consome medicamentos com frequência o papo é com você! Isso porque deputados estão estudando a possibilidade de liberar venda de remédios sem aval da Anvisa, que hoje tem como principal atividade dar ou não a liberação para a comercialização de medicamentos no país.

A proposta restringe autorização automática a medicamentos já aprovados nos EUA, Japão, Canadá e Europa. Segundo general Peternelli, autor do projeto, o motivo é que essa autorização demora muito e prejudica pacientes, principalmente portadores de doenças raras.

Segundo ele, em alguns casos, a agência leva tanto tempo que, quando dá o aval para o medicamento ser comercializado, ele já está defasado.

Vale lembrar que um dos aspectos avaliados pela Anvisa para autorizar um medicamento, por exemplo, é o estudo de estabilidade para garantir que o medicamento mantenha sua qualidade durante todo o prazo de validade. Como o Brasil é mais quente e úmido que os países europeus, que os Estados Unidos e que o Japão, existem requisitos de estabilidade específicos para o território nacional.

Outra questão apontada pela Anvisa é que nem sempre os estudos conduzidos em medicamentos internacionais consideram as características da população brasileira quanto aos aspectos epidemiológicos.

Para entender melhor quais seriam os impactos se aprovada a proposta, recebemos no #CafécomBlink desta terça-feira (23), a presidente do Conselho Regional de Farmácia de Mato Grosso do Sul, Dra. Kelle  Slavec. Ouça a entrevista na íntegra.

Deixe um comentário