Programador resolve fazer outro tipo de “programa” e se dá mal!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Estudante presa por extorsão é solta, mas tem de excluir conta de site “sugar”.

Decisão proíbe a jovem de manter qualquer tipo de contato com a vítima ou com a esposa dele;

A acadêmica de Biomedicina, de 22 anos, que foi presa na tarde desta terça-feira (9), suspeita de extorquir um programador de 37 anos, ganhou a liberdade provisória após passar por audiência de custódia, no fim da manhã desta quarta-feira (10). Como condição, ela terá de comparecer em juízo a cada dois meses e deixar o site destinado a promover encontros entre “sugar daddies” e “sugar babies”.

Além da proibição de acesso à plataforma on-line em que a vítima diz ter conhecido a moça, a decisão da juíza Eucelia Moreira Cassal também proíbe a jovem de manter qualquer tipo de contato com o programador ou com a esposa dele.

Conforme registrado pela polícia, o programador procurou a Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos) para denunciar a estudante depois que passou a ser chantageado.

Ele conta que a conheceu no site e então, foi cobrada a quantia de R$ 3,6 mil para saírem num fim de semana. Os dois tiveram um primeiro encontro e o programador pagou R$ 2 mil, em conta bancária de outra pessoa. Ainda conforme relatou à polícia, ele afirmou que pagaria o restante do valor no próximo encontro, que não ocorreu.

Para a polícia, o homem relata que a jovem não aceitou e começou a extorsão. Ela exigia dinheiro para que não mostrasse imagens íntimas de quando estavam juntos para a esposa da vítima. Por medo, o programador diz que fez dois Pix, de R$ 1,6 mil cada.

Depois, ele diz que a universitária passou a exigir a quantia de R$ 20 mil. Ele afirmou que não tinha, quando a jovem baixou para R$ 10 mil. Então, o casal marcou de se encontrar no estacionamento do Shopping Campo Grande para que fosse entregue o dinheiro. Mas como o homem já havia ido à polícia, equipe da Derf também foi ao local à paisana e prenderam a moça em flagrante no momento em que ela receberia o envelope com o dinheiro.

A estudante negou ser garota de programa. Ela conta que conheceu o homem no aplicativo Tinder e que ele prometeu que iria ajudá-la a morar sozinha e também arcar com os custos da casa. Diante da promessa, alugou uma casa e deu um cheque caução. Ela afirma que estava somente cobrando o valor do cheque e ainda que não havia salvo fotos íntimas do encontro. – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

via GIPHY