fbpx

Qual a realidade dos animais em época de Covid-19?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Qual a realidade dos animais em época de Covid-19?

Uma triste realidade!

Na entrevista a Promotora de Justiça Andréia Cristina Peres da Silva, titular da 42ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, comenta sobre a responsabilidade da adoção e os cuidados com a vida dos animais.

Em vez de receber carinho, cuidados e proteção, muitos animais estão sendo abandonados por seus próprios tutores desde que iniciou a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Apesar de diversas campanhas desenvolvidas por várias ONGs e pelo próprio Ministério Público de Mato Grosso do Sul para que as pessoas adotem animais abandonados, ao invés de comprar, ainda falta conscientização. Além disso, por falta de informação correta, muitas estão abandonando seus pets, com receio do novo coronavírus.

Fake news e informações sem comprovação científica de que animais podem transmitir o vírus elevaram o número de abandonos ou de isolamento dos animais de estimação, impedindo o bem-estar desses companheiros que sempre fizeram a alegria das famílias. Os cães e gatos têm direito à felicidade, à proteção e ao carinho recebidos dos humanos.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde Animal, não há até o momento nenhuma evidência de que cão, gato ou qualquer outro animal de estimação possa transmitir a covid-19 para pessoas.

Abandonar animais é crime ambiental previsto no art. 32 da Lei nº 9.605/98, passível de pena que pode ir de três meses a um ano de detenção e multa (aumentada em um sexto a um terço, se houver a morte do animal).

O abandono é também uma questão de saúde pública, considerando que muitos animais domésticos vagam pelas ruas sem controle sanitário, podendo contrair e transmitir diversas doenças.

Texto: Elizete Alves/jornalista – Assecom MPMS

E aí? O que acha do assunto? Comente!

Assine nossa newsletter e receba tudo primeiro!

Não mandamos spam e nem divulgamos seu e-mail! Apenas enviamos mediante sua autorização.