fbpx

VIADUTO VEGETADO PODE SALVAR MICO-LEÃO-DOURADO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
BOAS NOTÍCIAS: ÁGUA POTÁVEL A PARTIR DA ÁGUA SALGADA

Uma ideia genial pode ajudar a preservar uma das espécies mais ameaçadas de extinção, o mico-leão-dourado.
Eles são animais que se locomovem através das árvores, mas com o avanço rodoviário e a construção de rodovias, muitas populações desses animais acabam ficando isoladas, ou correndo risco de ser atropeladas ao tentar atravessar as rodovias.
Foi então que surgiu a ideia do viaduto vegetado.
A rodovia escolhida foi a BR-101 e o trecho foi perto de Silva Jardim, a 120 km do Rio de Janeiro.
A obra consiste na construção de um viaduto por cima da rodovia, mas ao invés de outra rodovia, o lado de cima recebe vegetação e árvores plantadas.
Com isso os animais de um lado da rodovia podem atravessar para o outro lado sem precisar correr o risco de serem atropelados.
No lado de cima do viaduto foram plantadas grama e 200 mudas de árvores nativas da região, e isso vai fazer com que daqui 2 ou 3 anos, todos os animais possam circular em segurança por entre os dois lados.
Mas porque é importante ligar os dois lados da rodovia?
A espécie do mico-leão-dourado conta com cerca de somente dois mil e quinhentos exemplares na natureza, e fazer com que grupos se encontrem pode ajudar na diversidade genética da espécie, promovendo a multiplicação.
Fora outras espécies naturais da mata atlântica que também sofrem risco de extinção e esses viadutos ajudariam e muito a preservação da vida.
Excelente iniciativa, e que mais viadutos como esse possam ser construídos pelo Brasil.

CORONAVAC TEM EFICÁCIA DE 98% COMPROVADA

Há uns meses nós noticiamos aqui que o laboratório chinês Sinovac estava testando uma vacina contra a covid-19 em aprceria com o Instituto Butantan.
Os testes mais recentes informaram que após duas doses aplicadas, cerca de 98% dos voluntários desenvolveram anticorpos contra o coronavírus. NO Brasil são 9 mil voluntários recebendo as doses.
O melhor de tudo é que o imunizante deu conta de eliminar todas as 20 cepas diferentes do SARS-CoV-2, que são as variações do coronavírus conhecidas.
Alguns testes ainda mostraram que a vacina pode manter o organismo do paciente imunizado por até 2 anos, mas ainda são necessários mais testes para essa comprovação de período de imunização.
Agora a vacina está em fases finais de testes e até o fim do ano as primeiras pessoas vão poder receber a primeira dose.
Aqui no Brasil a empresa fez um acordo para fornecer 120 milhões de doses da vacina e a expectativa é que as pessoas do grupo de risco possam ser imunizadas até dezembro.
O governo está tentando levantar recursos para que o Butantan possa produzir mais 120 milhões de doses.
Essa é uma excelente notícia e estamos muito perto de conseguir finalmente ter uma vacina para esse mal que está nos atormentando há vários meses.

E aí? O que acha do assunto? Comente!

Assine nossa newsletter e receba tudo primeiro!

Não mandamos spam e nem divulgamos seu e-mail! Apenas enviamos mediante sua autorização.