Conecte com a gente

ENTRETENIMENTO

VÍDEO: OS PRÓS E CONTRAS DA ERA DIGITAL PARA PAIS, PROFESSORES E CRIANÇAS

O #CaféComBlink desta quarta-feira (03) iniciou uma nova série de entrevistas com especialistas. O tema da vez é a educação na era da tecnodependência. Na sua casa, por exemplo, quem mais usa o celular e o computador: você ou as crianças? Para as especialistas que participaram do primeiro bate-papo, sobre crianças “digitais”, Daiani Riedner e Maysa Brum, o modo de vida de todo o mundo passa por uma reconfiguração e, atualmente, as práticas sociais são muito permeadas pelo uso de tecnologias.

Daiani Riedner é doutora em educação, professora e chefe da divisão de educação à distância da UFMS; Maysa Brum é doutora em tecnologias educacionais e redes sociais na educação e professora da Unigran Capital. Elas explicam que, afinal, todos precisamos conviver com: acesso à informação, excesso de informação e pouca formação, principalmente em países como o Brasil.

IMIGRANTES DIGITAIS X NATIVOS DIGITAIS

Tanto os imigrantes digitais (geração que não nasceu na era digital, mas faz parte dela), quanto os nativos digitais (a nova geração, que já nasceu convivendo diretamente com o universo digital), precisam de novas adaptações, reações e formas de pensar em relação à tecnologia. Daiani Riedner e Maysa Brum acreditam que o uso da tecnologia principalmente por pais e responsáveis como ferramenta de combate ao tédio é um erro, mas um erro inevitável, e destacam: “a tecnologia não é vilã”, comparando o celulares, tablets e computadores com uma “babá eletrônica”.

ÓCIO E ATENÇÃO

Apesar das vantagens do mundo digital, ambas as especialistas destacam que o ócio ainda é importante para o desenvolvimento das crianças. Daiani acredita que a “não permissão do ócio” é reflexo da sociedade imediatista em que vivemos e destaca: “é possível transformar o ócio em ócio criativo”. Tanto Daiani quanto Maysa, quando o assunto é tecnologia e internet, são favoráveis ao controle parental (atenção e acompanhamento ao conteúdo ao qual as crianças terão acesso) e ao controle também do tempo de exposição dos baixinhos à web e aparelhos. “O excesso de tecnologia causa distúrbios físicos e psicológicos”, lembra Maysa.

AS CRIANÇAS “DIGITAIS” NA ESCOLA

O bate-papo do #CaféComBlink também trouxe aos ouvintes uma reflexão sobre a inserção destas crianças “digitais” nas escolas – tradicionais ou não; públicas ou privadas – do Brasil. É unânime: nem escola, nem educadores e nem os pais ou responsáveis (olha eles aqui de novo!) estão preparados para os nativos digitais. É papel, tanto do pai, quanto do professor, estar atentos à nova realidade e ver a tecnologia como algo positivo. E fica uma sugestão do jornalista e especialista em educação, Caio Dib: o Canal Bloom. É um bom exemplo do uso positivo das tecnologias para pais e crianças! Conheça aqui.

Escrito por

Jornalista e especialista em marketing digital, agora mergulho no universo radiofônico. Produtora do #CaféComBlink. No ar de 2ª a 6ª, a partir das 7h, na Blink 102. Amo colecionar histórias... Me conta a sua?!

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECOMENDADOS PARA VOCÊ:

Educação: uma difícil transformação do “analógico” para o “digital”

ENTRETENIMENTO

Encontro nacional vai discutir acesso à informação em MS

BLINK NEWS

Criador do Orkut desenvolve nova rede social chamada Hello, mas só chega ao Brasil em agosto

BLINK NEWS

Twitter lança botão Moments para usuários no Brasil

BLINK NEWS

WhatsApp chat